E se… criaturas pré-históricas vivessem entre nós?

Você já parou para pensar como seria  mundo atual se algumas gigantes criaturas pré-históricas vivessem até hoje? E tem mais, você imaginaria como seria a nossa convivência com esses seres?
Vamos tentar imaginar.

Coloque bem aí na sua rua uma floresta. Dentro dela, imagine samambaias. Samambaias everywhere!! Adicione um pouco de ação e inclua os gigantes Pulmonoscorpius kriktonensis, Meganeura monyi e o Arthropleura armata. Vejamos alguns dados desses “pequenos” (clique na imagem para aumentar)

ImagemCom bichos desse tamanho, as taxas de acidentes e incidentes cresceriam consideravelmente. Pense quão dolorida seria uma pancada de uma libélula gigante bem no meio da sua cabeça?! Os besouros gigantes da Amazônia não causariam nem coceira perto disso! E para-brisas quebrados? Libélulas e pequenos besouros às vezes se chocam contra os vidros dos carros. Normal. Mas imagine uma libélula com quase 1 metro de envergadura? E a picada de um escorpião de 13 kg? Com uma aguilhão correspondente ao tamanho do bicho, creio que as feridas crateras seriam bem difíceis de curar.  Não se sabe ao certo se esses bichos teriam veneno suficiente para paralisar, o que é um alívio ao pensarmos em uma dúzia deles vivendo em nosso jardim! Fora os ataques de pânico, asco, nojo, repulsa que uma centopeia de 2 metros causaria em uma boa parte da população. Plantas ornamentais seriam apenas os aperitivos desses destruidores massivos de samambaias e afins! O uso de medidas protetivas, como inseticidas, fechar as janelas, olhar os calçados antes de calçá-los, seria uma afronta, devido ao tamanho desses simpáticos seres.

Conseguiu ter um ideia do ambiente caótico que essas 3, apenas 3, criaturas pré-históricas seriam capazes de causar se vivessem atualmente? 

Vamos aumentar o nível de dificuldade.

Imagine a cena: Você saindo de casa, em um dia tranquilo e ensolarado até que… tem de sair em disparada, desesperado, ziguezagueando entre o trânsito, pulando obstáculos, a procura de um lugar seguro para se refugiar da perseguição implacável de um Espinossauro. Esse cara não é apenas mais um dinossauro entre tantos. Ele é simplesmente o maior dinossauro carnívoro que já existiu!! Ele era maior do que o T-Rex e, pasmem, maior que o Giganotossauro! Apesar de seus bracinhos curtos, era um bicho muito veloz, alcançando cerca de 24 km por hora (dependendo da fome!). Não creio que estaria escrevendo isso se eles vivessem atualmente. Provavelmente já teria virado café da manhã de algum filhote.

O propósito desse post, além de estimular a imaginação, é complementar a ideia de que a evolução sabe o que faz e porque o faz. A grande maioria dos gigantes do passado não sobreviveria por muito tempo, pois demandavam muita comida para saciar a fome e as necessidades de todos. Fora o fato de que seria improvável a evolução e sobrevivência de uma diversidade de animais que temos hoje, inclusive nós mesmos.
A competição seria uma covardia.

Sobre Anita Burgan

Anita Burgan é uma bióloga que continua a cada dia mais fascinada com esse mundo que nos cerca. Gosta de escrever sobre aquilo que lê diariamente, principalmente assuntos relacionados à biologia e ao meio ambiente. Fã de uma generosa caneca de café (misturado com água, [estranho hábito que seus amigos reprovam]), de bons livros e de conversas aleatórias. Possui peculiaridades, como medo de louva-a-deus, adoração por pipoca com chocolate, além da capacidade de imitar a Marília Gabriela!

Publicado em maio 14, 2013, em Funny Time e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: