Dia Mundial do Meio Ambiente: o tema desse ano é o desperdício de comida

Criado em 1972 pela Assembléia Geral das Nações Unidas, na abertura da Conferência de Estocolmo sobre Ambiente Humano, o dia tem o objetivo de atrair a atenção mundial para a conscientização e preservação do meio ambiente.

O tema desse ano é o desperdício de comida. Um assunto muito válido e pertinente na nossa sociedade consumista. Segundo a ONU, anualmente 1,3 bilhão de toneladas de alimentos são desperdiçados. Dessa quantidade, 222 milhões de toneladas são desperdiçadas somente pelos países desenvolvidos (quase o mesmo produzido em toda a África Subsaariana, 230 milhões). Isso não deveria estar acontecendo, pois 1 em cada 7 pessoas no mundo vai dormir com fome todas as noites. Essa situação é ALARMANTE. Não deveríamos jogar tanta comida fora, ao mesmo tempo que milhares de pessoas se alimentam precariamente ou não se alimentam.

Então, uma das propostas é que a população adeque seus hábitos de consumo para que este não cause tantos impactos ambientais. Optar por alimentos orgânicos, produtos nacionais e locais (para que o gasto com transporte seja reduzido e para que a produção dos pequenos produtores seja mais valorizada) e desenvolver o hábito do consumo consciente, sem exageros e desperdícios.

Aparte do tema anual, o desperdício, atitudes e ações individuais são fatores que amenizam os impactos ao ambiente. Só a ação de jogar o lixo no lugar coreto, na lixeira para que não haja dúvidas, já diminui a probabilidade de esse lixo ficar estagnado no meio ambiente por muitos anos. Abusar do transporte público, quando este funciona e é de qualidade, optar pela bicicleta ou até mesmo caminhar para se deslocar de um ponto ao outro já ajuda também, diminuindo as fontes de emissão de gases do efeito estufa. Claro que a mudança de alguns hábitos é muito difícil, pois diariamente temos de nos adequar às mudanças que nossa sociedade impõe.

Podemos mudar muita coisa também se tratarmos com mais seriedade a escolha de nossos governantes. Eles que são os responsáveis pela qualidade do transporte público, pela construção de ciclovias, e acessos a ciclistas, e pelo desenvolvimento econômico do país como um todo. Se tratarmos com seriedade e atenção, com certeza escolheremos alguém tão atencioso e tão sério quanto a nossa atitude. Ainda acredito que existam pessoas boas, honestas e com boas ambições capazes de governar uma democracia.

Leia mais em Terra e no site do PNUMA.

Sobre Anita Burgan

Anita Burgan é uma bióloga que continua a cada dia mais fascinada com esse mundo que nos cerca. Gosta de escrever sobre aquilo que lê diariamente, principalmente assuntos relacionados à biologia e ao meio ambiente. Fã de uma generosa caneca de café (misturado com água, [estranho hábito que seus amigos reprovam]), de bons livros e de conversas aleatórias. Possui peculiaridades, como medo de louva-a-deus, adoração por pipoca com chocolate, além da capacidade de imitar a Marília Gabriela!

Publicado em junho 5, 2013, em 4 a Better World e marcado como , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: