É um bicho ou um Pokémon?

Se você, leitor, assistiu as aventuras do Ash e seus amigos Pokémons ou passou horas na frente de um Nintendo jogando esse clássico, meus parabéns, sua infância/adolescência/vida adulta divertida foi (está sendo) muito boa!! Agora eu aposto que você deve ter se perguntado de onde surgiu a imaginação dos criadores em inventar tantos seres diferentes e estranhos. Sendo assim, listamos alguns dos animais mais diferentes que existem e que nos fazem a indagação: É um bicho ou um Pokémon?

Grimpoteuthis ou Dumbo Octopus

https://i0.wp.com/static.neatorama.com/images/2007-06/dumbo-octopus.jpg

Você pode até rir do nome, mas é isso mesmo, o “polvo dumbo” foi batizado em homenagem ao elefante da Disney e pertence a uma das mais raras espécies de polvos existentes. Até o momento, o  maior indivíduo da espécie possui 1.8 metros de comprimento e cerca de 5.9 quilos. Mas o que impressiona mesmo é a profundidade que este bicho vive, há 4,800 metros de profundidade. Quando ele precisa caçar, ele bate suas barbatanas (orelhas) e sobe a até 400 metros de profundidade, onde suas presas preferidas habitam.

Ogcocephalus darwini  ou peixe dos lábios vermelhos (Red-lipped Batfish)

https://i2.wp.com/www.coolfactsforkids.com/wp-content/uploads/2013/11/red-lipped-batfish-facts-for-kids.jpg

Não pense que só por estar de batom que você poderá sair beijando esses lábios vermelhos. Como já se poderia imaginar, animais bizarros ou são encontrados na Austrália ou em Galápagos. No caso deste, Galápagos ficou com o prêmio! A aguçada natureza predatória desse indivíduo faz o terror de suas presas, que consistem de outros peixes, crustáceos e moluscos.

Umbonia spinosa ou bicho-espinho

http://www.mdig.com.br/marca_dagua.php?src=imagens/bichos/bichos_estranhos_06.jpg

Tente visualizar um filme cujo tema é invasão alienígena. Agora situe este inseto na trama e veja como ele se mistura ao caos extraterrestre! Apesar dessa aparência bem diferente, é um inseto comumente encontrado nos países das Américas Central e do Sul, inclusive no Brasil. Não é grande, medindo entre 12 e 16 mm de comprimento, e sua dieta é baseada na seiva de plantas da família Fabaceae, as leguminosas.

Glaucus atlanticus ou Dragão-azul

http://divulgacientifico.files.wordpress.com/2013/05/glaucus1.jpg

Não queira montar nele e sair por aí se achando o rei dos dragões. Eles são aquáticos, muito pequenos e cabem no seu dedão! Eles possuem uma peculiaridade interessante:  flutuam de cabeça para baixo na superfície dos oceanos graças a uma bolsa de ar localizada no seu estômago. Mas não se engane pelo tamanho, pois este guloso depreda indivíduos bem maiores que ele, como cnidários e moluscos pelágicos.

Odontodactylus scyllarus ou Tamarutaca

http://www.mdig.com.br/marca_dagua.php?src=imagens/bichos/bichos_estranhos_14.jpg

Esse sim lembra um Pokémon já existente, o Paras! Essas criaturinhas são crustáceos marinhos, da ordem Stomatopoda. Eles possuem o sentido de visão bem apurado, o que os tornam predadores ativos. Sua alimentação é baseada em camarões, caranguejos, moluscos, peixes e, até mesmo, animais de sua própria ordem. Vivem no fundo do mar, em superfície arenosa, no interior de orifícios deixados por outros animais.

Balaeniceps rex ou Cegonha-bico-de-sapato

https://i2.wp.com/www.oversodoinverso.com/wp-content/uploads/2013/08/badass-2.jpg

Essa simpática ave de hábito noturno vive em regiões pantanosas do continente africano e alimenta-se de peixes e rãs. Sua principal característica, esse bico grande e grosso e esverdeado, é um incômodo na hora de dormir, pois precisa recostá-lo sobre o peito enquanto se equilibra em uma perna.

Scarus coeruleus ou Peixe-papagaio-azul

Essa belezura de sorriso maroto recebe esse nome, papagaio, devido ao formato proeminente de seu focinho. Esse azul forte que dá a tonalidade do seu corpo chama a atenção de amadores na pesca submarina  “esportiva”, que acabam por capturá-los por serem bonitos e mais fáceis de encontrar. Pode ser encontrado em recifes de coral do Atlântico ocidental, como águas do Caribe e a costa brasileira. Alimentam-se de plantas bentônicas e de pequenos invertebrados.

Atheris squamigera ou Víbora-das-árvores

Essa cobra venenosa pode ser encontrada na África Ocidental e Central. Não são muito grandes, atingindo no máximo 78 cm, mas são capazes de fazer grandes aberturas com a boca. A coloração é variável, sendo os mais encontrados tons de verde e azul. O veneno causa sérias complicações hematológicas e, até mesmo, morte.

Sobre Anita Burgan

Anita Burgan é uma bióloga que continua a cada dia mais fascinada com esse mundo que nos cerca. Gosta de escrever sobre aquilo que lê diariamente, principalmente assuntos relacionados à biologia e ao meio ambiente. Fã de uma generosa caneca de café (misturado com água, [estranho hábito que seus amigos reprovam]), de bons livros e de conversas aleatórias. Possui peculiaridades, como medo de louva-a-deus, adoração por pipoca com chocolate, além da capacidade de imitar a Marília Gabriela!

Publicado em dezembro 10, 2013, em Funny Time e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: