Borboletas: as divas da natureza

A natureza não tem limites para a expansão de sua criatividade. As borboletas, esses simpáticos e adoráveis insetos, são capazes de encher nossos olhos e nos maravilhar com a diversidade de cores, formas e texturas. Além do mais, esse post é muito pessoal. Ou seja, sei que existem centenas de borboletas tão lindas quanto essas, mas, como mencionei, é pessoal!

Diaethria clymena meridionalisBorboleta 88
Tão pequena que cabe na ponta de seu dedo, essa borboleta, de porte pequeno, pode ser encontrada no cerrado e na mata atlântica. No entanto, está em alto risco de extinção, devido ao alto grau de destruição do seu habitat. Um fato curioso sobre essa espécie, além do número 88 impresso em suas asas, é sua curiosa alimentação: comem frutos e estrume. Isso mesmo, meus caros: cocô de cavalo, de vaca…

Imagem
Papilio palinurus
Emerald Swallowtail
Essa borboleta é encontrada no sudeste da Ásia, especialmente em Sumatra e nas florestas de Bornéu (ou ilha de Kalimantan). É uma das pouquíssimas borboletas verdes existentes.

Imagem
Morpho polyphemus
: White Morpho
Pode ser encontrada desde o Sul do México até Costa Rica. É uma da poucas borboletas “mophas” que são brancas, ao invés de azuis. Possuem círculos marrons e amarelados nas asas.

Imagem
Papilo blumei: The Peacock

Por muitas vezes confundida com a já mencionada Emerald Swallowtail (sim, elas são muito parecidas), esta borboleta possui características tão particulares que a torna um projeto arquitetônico da natureza (filosofando). As asas desta borboleta possuem fileiras com superfícies côncavas, que refletem a luz de diversas maneiras. Se olhar “de cima”, bem no centro a luz refletirá em uma superfície amarelo-esverdeada e nas bordas coloração azul; se olhar de um ângulo um pouco mais inclinado a coloração se inverte. Indivíduos dessa espécie só são encontrados na ilha de Sulawesi, na Indonésia.

Imagem

Kallima inachus: folha seca
Essa borboleta apresenta uma incrível capacidade de mimetismo: quando está com as asas abertas, apresenta coloração preta, laranja e em tons de azul; porém, quando estão fechadas, as asas aparentam folhas secas. Não é uma simples cor de folha seca. As asas apresentam nervuras, estrias e marcações típicas de folhas secas. Podem ser encontradas em diversas regiões asiáticas.

Imagem

Caligo beltraoborboleta coruja
Apresenta uma grande arma para defender-se de predadores: olhos de coruja. Calma, não são olhos no sentido literal. Os desenhos na parte ventral das asas desta borboleta são como lindos olhos de coruja arregalados! Essa lindeza é uma exclusividade da América do Sul, sendo abundante aqui no Brasil. Porém, ela é meio nojentinha na alimentação, que é composta de frutas podres e em decomposição e, também, de fezes de animais (ser essa borboleta não deve ser tão legal assim).

gf

Ornithoptera alexandrae: a maior borboleta do mundo
Sim, de fato, esta é a maior borboleta do mundo, pois apresenta até 30 cm de envergadura! Tá achando pouco? Passe a mão na primeira régua ao seu alcance e veja quão grande essa borboleta pode ser! Essa gigante é endêmica de Papua-Nova Guiné. O nome foi dado pelo seu descobridor, o barão Lionel Walter Rothschild, em homenagem à Rainha Alexandra, esposa de Eduardo VII do Reino Unido (acho que rolava um Bad Romance aí pra esse lord ser tão gentil em nomear uma borboleta com o nome dessa senhora). Os machos da espécie são menores, atingindo cerca de 20 cm de envergadura.

ornithoptera_alexandrae_f2
Greta oto
borboleta transparente ou borboleta de vidro
“As borboletas mais bonitas são aquelas bem coloridas, com números e rosto de coruja nas asas”. Preciso te dizer uma coisa, caro leitor: #SóQueNão. Essa borboleta já foi classificada como a mais curiosa do mundo, por apresentar asas transparentes. Isso mesmo, meu caro. Você consegue ver o outro lado do ambiente (meio embaçado, mas consegue) através das asas dessa lindeza! Com essa habilidade, elas passam despercebidas pelos predadores, que as confundem como parte da paisagem. Como isso ocorre? A natureza da translucidez ainda não é bem conhecida. Podem ser encontradas na América central.

1561440998_59ed334df2_b

Bônus
Esses casulos incríveis parecem até ter saído de algum filme de ficção científica, onde seres humanos mutantes são guardados nessas cápsulas para serem reanimados em um futuro dominado por robôs e zumbis, ou robôs-zumbis (??).

crisalidas-douradas

Nunca serão! Na realidade, essas estruturas constituem a proteção, o casulo, do estagio de pupa de borboletas da espécie Mechanitis polymnia.

Fala sério né, relojoeiro cego!
Tretas por esse comentário em 3, 2, 1…

 

Sobre Anita Burgan

Anita Burgan é uma bióloga que continua a cada dia mais fascinada com esse mundo que nos cerca. Gosta de escrever sobre aquilo que lê diariamente, principalmente assuntos relacionados à biologia e ao meio ambiente. Fã de uma generosa caneca de café (misturado com água, [estranho hábito que seus amigos reprovam]), de bons livros e de conversas aleatórias. Possui peculiaridades, como medo de louva-a-deus, adoração por pipoca com chocolate, além da capacidade de imitar a Marília Gabriela!

Publicado em maio 11, 2014, em Funny Time e marcado como . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: